domingo, agosto 05, 2007


Monodecks

"O termo Monodecks foi criado como referência ao processo caseiro de gravação usado para registro das primeiras células musicais que configurariam o repertório da banda: trata-se da sobreposição de sons através do "revezamento" de duas fitas K7 num microsystem de dois decks com um microfone externo."

Confira a entrevista feita com Breno Mendonça, guitarrista da monodecks.


1. Quanto tempo faz que estão na estrada? Existe alguma diferença do som do início da banda para o som que estão fazendo agora?Eu, Tiago e Domingos formamos o Monodecks no final de 2004, mas essa atual formação está junta desde o final de 2006. Os primeiros ensaios foram com essa formação de trio mesmo, com duas guitarras e bateria. Tinha a crueza da formação sem baixo e o que rolou é que tentávamos adaptar o esquema lo-fi das gravações caseiras a uma configuração de banda. De lá para cá Léo entrou na banda no final do ano passado, e nesse ano resolvemos botar o lance para frente realmente. Musicalmente a entrada de Léo na banda foi fundamental para essa retomada. Todos ficaram mais satisfeitos com o resultado. Acho que não há uma mudança de estilo do início para agora, mudou mais a forma como apresentamos nossa música, questões de sonoridade e arranjos. E também estamos melhor ensaiados.

2. Já ouvi a Monodecks ser chamada de “música sensorial” . Como se definem para o público?
Domingos: A gente gosta de muita coisa diferente uma da outra e não formamos a banda partindo de nenhum rótulo pré-pronto - o que certamente facilitaria na hora de darmos respostas a perguntas como esta mas também faria-nos limitar nossa palheta de cores sonoras. Talvez esse termo "música sensorial" seja até mais adequado pra nós do que "pós-rock", porque tem a ver com o sentido sinestésico que na maioria das vezes buscamos com nossa música - algo que antes mesmo de transformar-se em uma categorização jornalística, é uma necessidade humana ancestral de experimentar estados alterados de consciência através da substância sonora. Algo orgânico, como uma necessidade bioquímica do belo. Apesar da gente atualmente ter quase abolido a linguagem escrita/falada em nossas músicas, não somos "partidários" disso. Também amamos música popular, cantada, com refrâo... Apenas não forçamos nenhuma aproximação com isso. Temos algumas composições num formato mais "canção", com linhas vocais, mas no momento elas não fluem tão legal como esses temas instrumentais que executamos. Quem sabe mais pra frente.

3. Além de bandas como Mogway e Brian Eno, que bandas podem ser encontradas na lista de influências da Monodecks?
Na verdade tudo que a gente escuta acaba entrando nesse rol de influências da banda. É algo mais de dentro pra fora que uma influência direta. Todos da banda escutam e consomem muita música. Mas posso citar Sun Ra, Slint, Animal Collective, Syd Barret, Walter Franco, Tortoise, Can, Wolf Eyes, Amon Duul, Acid Mothers Temple...

4. Ter feito o primeiro show no Festival do Coquetel Molotov deu mais visibilidade a banda?
Certamente. O show do No Ar 2005 foi realmente nosso primeiro e entre outras coisas foi fundamental para darmos uma maior atenção a banda e levarmos tudo com um pouco mais de seriedade. Nesse sentido ele já foi muito bom. A visibilidade do festival nos fez entrar no radar da produção musical local. Além do que o No Ar tem essa fama de mostrar novas tendências musicais e grupos com trabalhos interessantes e relevantes e que atrai atenção e também muita expectativa. No nosso caso, tivemos uma boa recepção do público e crítica na medida do possível.

5. Há pouco tocaram no festival de inverno de Garanhus, como foi o show?
Foi muito bom, não tem nem como descrever o prazer de tocar em um palco com toda aquela estrutura de luz e som. Apesar de termos tocado cedo tinha um bom público e a resposta foi massa. Muitos vieram falar com a gente depois do show querendo saber se tínhamos algum disco e tudo mais. Para mim foi nosso melhor show. E também o festival tem um clima massa. Não tinha ido antes, mas ano que vem pretendo pelo menos passar um fim de semana por lá para curtir mais a atmosfera do lugar.

6. Mais alguma previsão de Shows fora do Recife?
Temos planos sim de fazer shows em outros estados, aqui no Nordeste mesmo. Gostaria muito de tocar em João Pessoa, Natal, Fortaleza. Temos feito alguns contatos com grupos com propostas mais alinhadas com a nossa. Aqui em Pernambuco temos vontade de tocar em algumas cidades do interior, mas não temos nada em vista para logo.

7. A banda já tem EP disponível ou estão preparando algo?
Em Fevereiro desse ano lançamos nosso primeiro single "Reverbera na Caverna", que foi também nossa primeira gravação em estúdio. Nossa prioridade no momento é gravar um Ep com umas 4 ou 5 músicas. Ainda não sei quando entraremos em estúdio, mas nossa intenção é ter o disquinho nas mãos em Setembro ou Outubro.

8. Vi o clipe de “Reverbera na Caverna” rolando no youtube, como foi a produção?
Zeca Viana (do Volver e Asteróide B-612) que é nosso chapa, tava com uma câmera na mão e uma idéia na cabeça hehe e resolveu por conta própria fazer um clipe para a música. No caso ele utilizou a versão caseira da música, porque àquela altura não tínhamos gravado ela ainda em estúdio. Gostei muito do resultado e acho que o conceito do vídeo ficou muito perto do que a música tenta passar.

9. Onde e quando será o próximo show?
O próximo será nesta Terça dia 7, no UK Pub em Boa Viagem. Será o lançamento do novo número da revista Coquetel Molotov, que está muito foda por sinal. Tem uma matéria com o Monodecks nesse novo número. Tocaremos com muita satisfação de participar de algo assim.

10. Agora, como de costume, deixem um recado bem com a cara da monodecks.
Convido todos a aparecerem nesta Terça no UK Pub para conferir nosso show. Acho que existem algumas bandas novas na cidade que merecem uma maior atenção da galera. Às vezes parece que o público tem preguiça de ir aos shows e apoiar essas bandas. Um projeto muito legal é o do Cineclube Amoeda Digital, que leva todo Domingo uma banda instrumental e um filme clássico ao Novo Pina. E claro, todas as coisas do pessoal do Coquetel Molotov. Existe uma movimentação legal e boa música, agora tem que ir atrás e apoiar. Valeu Ju!


Lançamento da Revista Coquetel Molotov Nº 3
Quem? Monodecks e discotecagem de DJ Salvador e Bruno Nogueira
Onde? UK Pub - Rua Francisco da Cunha, 165 - Boa Viagem
Quando? Terça - 7 de agosto
Hora? 22horas
Quanto? Ingressos: R$ 5,00 (Ladies Free até às 22h Clone de chopp até meia-noite)

Monodecks é:
Breno - Guitarra
Leo - Guitarra
Ramiro - Baixo
Domingos - Guitarra e Flauta
Tiago - Bateria e Percussão

Links:
Myspace
monodecks@gmail.com
tel: (081) 87153981



poplaranja - 7:42 da manhã
......................................................................................................................................

2 comentários

POPLARANJA É?
Juliana Orange. Estudante de música da UFPE. Toca nas bandas AMPSLINA e VOYEUR. Gosta de escrever sobre música e bandas e tirar fotos de shows.

Onde? Recife - PE


Contato Imediato


» Beba desse suco:

- AMPSLINA
- FOTOS POPLARANJA
- JUORANGE
- LUMO COLETIVO
- VOYEUR
- SWEET FANNY ADAMS


www.flickr.com
Este é um módulo do Flickr que mostra as fotos públicas de Pop Laranja. Faça o seu próprio módulo aqui.


» Laranjadas anteriores
Honkers em Recife
Rock no Burburinho
Britsh West Indies
Final de Semana
Vamoz no UK
Entrevista AB612
Atrações FIG 2007
Agenda
Agenda
Entrevista Tonys Juice


Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

Dezembro 2008

Janeiro 2009

Fevereiro 2009

Março 2009

Junho 2009


Contador de acesso e visitas
Restaurantes